Blog

Caneca

A bomba-relógio dos TALENTOS

A bomba-relógio dos TALENTOS
1148
15/03/2023
5

RH na pressão pela busca dos melhores talentos  

Encontrar, recrutar e integrar talentos nunca foi fácil. É um processo demorado e de alto risco, pois quando dá errado, essa falha é visível para todos na empresa. Além disso, o custo de cada contratação está sendo cada vez mais considerado. Há uma pressão crescente para preencher vagas mais rapidamente, apesar de o RH saber muito bem que contratações rápidas geralmente se tornam contratações fracassadas. Essa verdadeira bomba-relógio faz com que as empresas precisem transformar suas abordagens de recrutamento, integração e retenção que juntas formam sua “cultura de talentos”.

Uma pesquisa global da Thomas International, que é parceira da Keeptalent, confirma que os profissionais de RH estão sentindo a pressão pela busca dos melhores profissionais.  O levantamento foi feito com mais de 900 tomadores de decisão de RH em empresas de 10 países. Destes, 43% dos entrevistados gerenciam o recrutamento completamente de forma interna, 53% usam uma mistura de agências internas e externas e o restante terceiriza a maior parte de seu recrutamento.

Os profissionais de RH sabem trabalhar sob pressão: lidar com situações estressantes e gestão de pessoas complexas fazem parte do dia a dia. Mas com os mercados de trabalho globais em níveis desconfortavelmente reduzidos, os atuais processos de recrutamento estão se deteriorando sob a tensão.

Três em cada cinco tomadores de decisão de RH tiveram experiências ruins de recrutamento em algumas ou todas as áreas do negócio nos últimos dois anos. A velocidade é uma preocupação particular. Duas das três principais pressões estão relacionadas ao tempo: 81% sentem a cobrança para que os contratados atinjam a produtividade ideal mais rapidamente, enquanto 79% sentem a exigência para contratar mais rapidamente.

A necessidade de contratar rápido cria uma tensão desconfortável. A maioria dos  profissionais de RH (74%) sente-se pressionado a comprometer a qualidade do candidato para preencher as funções com mais agilidade, mesmo que 76% admitam que contratar com pressa aumenta as chances de um fit inadequado.

Priorizar a velocidade custa dinheiro no futuro, oferece candidatos de qualidade inferior, reduz o fit da equipe e até ignora aqueles com potencial. Ao se mover rapidamente, as empresas estão ignorando o impacto no tempo de produtividade e retenção de longo prazo, com práticas inadequadas nos estágios iniciais comprovadamente levando a contratações fracassadas no futuro.

Crise de habilidades

Outra tendência que a pesquisa mostra é que os profissionais de RH estão passando por uma crise de habilidades cada vez mais profunda, com as empresas propensas a ter um aumento na escassez de habilidades.

Atualmente, os profissionais de RH valorizam tanto as hard skills (habilidades e experiência técnicas, específicas da função) quanto as soft skills (resolução de problemas, resiliência, comunicação eficaz). Quando perguntados sobre quanto valor sua organização atribui a esses dois tipos, 49% disseram que são as habilidades e experiência técnica e específica da função e 51% apontaram as habilidades interpessoais como resolução de problemas, resiliência e comunicação eficaz.

Elas podem ser igualmente valorizadas, mas há uma escassez muito maior de soft skills do que hard skills: 43% sentem que a escassez de habilidades é sentida mais intensamente nas soft skills, em comparação com apenas 17% que sentem isso nas hard skills. Indiscutivelmente, as hard skills são mais fáceis de mensurar, mas poucas empresas têm mecanismos para quantificar habilidades como comunicação ou resiliência. Pode ser que as soft skills mais procuradas estejam mais disponíveis do que as empresas pensam, desde que possam encontrar a maneira certa de avaliá-las.

As empresas que valorizam as hard skills preenchem as funções um pouco mais rápido, mas levam muito mais tempo para aumentar a produtividade. Por outro lado, aquelas que valorizam mais as soft skills demoram um pouco mais para recrutar. Mas levam menos tempo para conduzir os candidatos à produtividade ideal, indicando que, embora as soft skills sejam mais difíceis de encontrar, esses candidatos têm qualidades que os ajudam a se atualizar mais rapidamente.

No cenário de talentos de hoje, os desafios de produtividade são abundantes. Mas o desejo por formas mais progressivas de recrutamento e integração de pessoal é forte. Quase dois terços dos tomadores de decisão de RH (63%) querem evoluir e adaptar a maneira como abordam o recrutamento,

Quando questionados sobre qual é a abordagem mais eficaz para lidar com as deficiências atuais, quase metade dos profissionais de RH (48%) deseja implementar mais entrevistas presenciais, talvez devido à percepção de que entrevistas presenciais facilitam avaliar as habilidades interpessoais. Muitos profissionais de RH acham que deixar de se encontrar pessoalmente aumenta a probabilidade de um fit inadequado.

No entanto, as equipes de RH devem ter cuidado ao confiar apenas em reuniões presenciais. Como os últimos dois anos provaram, limitar seu grupo de candidatos apenas àqueles que podem participar de uma entrevista pessoalmente pode ser um passo em falso em um momento em que o talento é escasso.

Sugerindo que as tecnologias de RH são cada vez mais influentes, os líderes de RH classificam o uso de aplicativos de empregadores como a segunda tática mais eficaz para transformar suas abordagens. Com a escassez de talentos, as comunicações em tempo real são fundamentais e podem ser a diferença entre uma oportunidade aproveitada e uma perdida.

A terceira abordagem mais eficaz é o teste psicométrico (34%), que permite aos profissionais de RH avaliar comportamentos, personalidade, aptidão e inteligência emocional. Isso é vital, dada a forte ligação entre as soft skills e o tempo de produtividade e pode até ajudar a melhorar o tempo necessário para contratar já que valoriza as soft skills em primeiro lugar.

A importância do onboarding

A Cultura de Talentos significa mais do que apenas contratar, e preencher uma vaga é apenas metade da batalha. Os primeiros dias de ingresso em uma nova empresa são fundamentais para como os funcionários se sentem em relação à sua função, e um onboarding ruim pode fazer com que as pessoas deixem as funções mais rapidamente. No entanto, 65% dos profissionais de RH acreditam que colocam muita ênfase na atração de funcionários e que o onboarding é negligenciado. Isso precisa ser abordado, pois o processo de integração é crucial para levar os colaboradores à produtividade no tempo ideal. Cerca de metade acha que poderia melhorar o processo de integração apoiando os funcionários para ajudá-los a alcançar o resultado ideal, em vez de fazer tudo rapidamente; e 39% acham que a integração poderia ser melhorada personalizando o processo com base nas características comportamentais e de personalidade do indivíduo.

Ter uma cultura de talentos progressiva em talentos pode ajudar as empresas a resolverem muitos dos desafios que enfrentam em relação à contratação, onboarding e aumento da produtividade no mercado de trabalho atual. Aqueles negócios que vivem e respiram uma cultura de talento progressiva são mais propensos a ter contratações que funcionam em todas as áreas, podem contar com funcionários que permanecem por mais tempo de serviço e também levam menos tempo para alcançar a produtividade com novas contratações. Além disso, são mais propensos a entender que contratar muito rápido acaba custando mais porque muitas vezes não dá certo e compreendem ainda que contratar muito rápido pode significar comprometer a qualidade do candidato.

Para os profissionais de RH, é improvável que a pressão envolvida no recrutamento e retenção dos melhores talentos diminua tão cedo. A escassez de habilidades não se resolverá da noite para o dia e o relógio continua a marcar o prazo para a transformação. Como algumas empresas já experimentaram, há benefícios reais a serem obtidos ao mudar a forma como você aborda a cultura de talentos, seja colocando mais ênfase em soft skills ou nivelando seus processos de onboarding.

O caminho para uma cultura de talentos progressiva está ao alcance de todos os negócios, desde que haja vontade de evoluir.

A Keeptalent preparou um conteúdo interessante para você repensar seu processo de integração, já atualizado com as demandas atuais de diversidade, trabalho remoto e LGPD. Também preparamos para nossos candidatos um apanhado de boas orientações comportamentais que ajudam muito no processo de integração e que você pode aproveitar para ajudar a impulsionar o novo contratado, levando-o à reflexão.

Entre em contato com nossa equipe de especialistas para entender como a Keeptalent pode lhe ajudar em seus processos de contratação.

Compartilhe

Confira nossas vagas: Acesse o link! Leia mais

Controle sua privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Clique em "Minhas opções" para gerenciar suas preferências de cookies.

Minhas Opções Aceito

Quem pode usar seus cookies?

×

Cookies necessários

São essenciais pois garantem o funcionamento correto do próprio sistema de gestão de cookies e de áreas de acesso restrito do site. Esse é o nível mais básico e não pode ser desativado. Exemplos: acesso restrito a clientes e gestão de cookies.

Cookies para um bom funcionamento (1)

São utilizados para dimensionar o volume de acessos que temos, para que possamos avaliar o funcionamento do site e de sua navegação. Exemplo: Google Analytics.mais detalhes ›

Google Tag Manager

Cookies para uma melhor experiência (1)

São utilizados para oferecer a você melhores produtos e serviços. Exemplos: Google Tag Manager, Pixel do Facebook, Google Ads.mais detalhes ›

Shareaholic